04/03/2021 às 13h02min - Atualizada em 04/03/2021 às 13h02min

O promotor de Saúde Pública de Bauru, Enilson Komono, chamou o plano de SP para saúde de enganoso

"O Estado cortou milhões dos hospitais e isso repercute na falta de profissionais e na necessidade de cortar uma clínica cirúrgica inteira, com 17 leitos, de um hospital tradicional do DRS-6 (Departamento Regional de Saúde-6), que é responsável por 1 milhão e 800 mil habitantes", afirma o promotor.

Cristina Barroso
JCNET
(REPRODUÇÃO)
O promotor Enilson Komono disse que o estado seria omisso em suas obrigações na defesa da saúde e chamou o Plano São Paulo de “enganoso”.
O promotor de Saúde Pública de Bauru, Enilson Komono, publicou em seu perfil no Facebook, na tarde desta sexta-feira (29), sete vídeos gravados em hospitais da cidade para denunciar a falta de leitos e as condições das unidades de saúde do município. Ele, inclusive, mostra que uma ala cirúrgica inteira do Hospital de Base (HB) foi fechada e critica que os cinco leitos de UTI anunciados pelo Estado no hospital de campanha montado no Hospital das Clínicas (HC) da USP não estão em funcionamento. A Secretaria de Estado da Saúde rebate as queixas.

Nas primeiras publicações, Komono mostra a Clínica Cirúrgica 2 do HB, que era usada para cirurgias eletivas na unidade. O espaço estava vazio e com a porta trancada com um cadeado. "O Estado cortou milhões dos hospitais e isso repercute na falta de profissionais e na necessidade de cortar uma clínica cirúrgica inteira, com 17 leitos, de um hospital tradicional do DRS-6 (Departamento Regional de Saúde-6), que é responsável por 1 milhão e 800 mil habitantes", afirma o promotor.

“Eu estou aqui na clínica cirúrgica 2. Vocês vão ver que ela foi fechada. Olha como o estado trata os leitos, olha a situação. Isso aqui: 17 leitos fechados. O estado diz que está ampliando, hoje é dia 29 de janeiro de 2021, então é importante que isso aqui fique registrado. Uma ala inteira do Hospital de Base, que é o hospital tradicional da DRS VI, responsável por 1,8 mil habitantes, e está fechada uma clínica cirúrgica”, disse no vídeo.
O promotor de saúde enviou um ofício à Promotoria de Justiça do Patrimônio Público da cidade. No documento, Komono solicita apuração por eventual prática de improbidade administrativa do estado no caso do atraso na viabilização do Hospital das Clínicas (HC) no ‘predião’ do Centrinho.
 
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »