24/02/2021 às 16h24min - Atualizada em 24/02/2021 às 16h24min

A FDA aprova vacina da Johnson&Johnson

A equipe da FDA confirmou a descoberta da J&J de que a vacina foi 66 por cento eficaz em geral no afastamento de casos moderados e graves de COVID-19 e 85 por cento eficaz na prevenção das infecções mais graves.

Cristina Barroso
New York Post
(REPRODUÇÃO)
A Food and Drug Administration apoiou a vacina de dose única contra o coronavírus da Johnson & Johnson como segura e eficaz na quarta-feira, enquanto a agência pondera se deve liberar a vacina para uso de emergência.
A equipe da FDA confirmou a descoberta da J&J de que a vacina foi 66 por cento eficaz em geral no afastamento de casos moderados e graves de COVID-19 e 85 por cento eficaz na prevenção das infecções mais graves.

Embora não seja tão forte quanto as vacinas de duas doses da Pfizer e Moderna, essa taxa de eficácia ainda pode fazer do tiro da J&J uma arma útil na batalha contra a pandemia. Também se espera que seja mais fácil de distribuir porque requer apenas uma única dose e pode ser armazenado em freezers padrão sem temperaturas ultra-frias.
vacina contra o coronavírus é tão segura e eficaz na quarta-feira quanto a agência pondera se deve liberar a vacina para uso de emergência.
A equipe da FDA confirmou a descoberta da J&J de que a vacina foi 66 por cento eficaz em geral no afastamento de casos moderados e graves de COVID-19 e 85 por cento eficaz na prevenção das infecções mais graves.
 
O ensaio clínico da J&J, com sede em Nova Jersey, com quase 44.000 pessoas, também não produziu preocupações de segurança significativas que impeçam o FDA de conceder uma autorização de uso de emergência para a vacina, disseram funcionários da agência. Os efeitos colaterais foram “predominantemente leves” e incluíram dor muscular, dor de cabeça, fadiga e dor no local da injeção, disseram os funcionários.
 
O FDA divulgou sua análise da injeção antes de uma reunião na sexta-feira do Comitê Consultivo de Vacinas e Produtos Biológicos Relacionados, um painel de especialistas que recomendará a liberação da vacina J&J para uso de emergência.
O FDA concedeu aprovações de emergência para as vacinas Moderna e Pfizer em dezembro, seguindo recomendações positivas do painel consultivo.
O relatório de 62 páginas ofereceu uma visão detalhada da vacina J&J à medida que autoridades de saúde e fabricantes de medicamentos em todo o mundo lutam com variantes altamente contagiosas de COVID-19.
 
Como as descobertas que a J&J divulgou no mês passado, a análise do FDA apontou algumas ressalvas sobre a eficácia da vacina. Por um lado, varia por região - a injeção foi 72 por cento eficaz contra COVID-19 moderado a grave nos EUA, mas essa taxa caiu para 64 por cento e 68,1 por cento, respectivamente, na África do Sul e no Brasil, onde novas cepas do vírus tem sido identificado.
Embora a injeção geralmente funcionasse bem, independentemente da idade, raça, etnia ou histórico de saúde, ela parecia ser menos eficaz em pessoas com mais de 60 anos que tinham problemas de saúde subjacentes, de acordo com o FDA.
 
Mas a vacina parece ser um baluarte contra as hospitalizações e mortes por COVID-19. Funcionários da FDA observaram que nenhuma das sete pessoas no ensaio clínico da J&J que morreram do vírus havia recebido a injeção, e a empresa disse que foi 100 por cento eficaz na prevenção de hospitalizações quatro semanas após a vacinação.
Se o FDA autorizar o uso de emergência, a vacina da J&J seria a terceira injeção lançada em todo o país. A gigante farmacêutica se comprometeu a fornecer 100 milhões de doses até o final de junho e espera entregar 20 milhões de doses até o final de março.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »