09/02/2021 às 17h15min - Atualizada em 09/02/2021 às 17h15min

PT doou R$ 5 milhões para a ONG pró-aborto de Debora Diniz

Apesar de se intitular como “instituto de bioética”, a ONG tem como objetivo fundamental atuar para a legalização do aborto no Brasil.

Cristina Barroso
(REPRODUÇÃO)
Durante os mandatos de Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, o instituto pró-aborto Anis recebeu R$ 5,2 milhões do governo federal para a realização de 15 projetos diferentes.
A fundação foi criada pela ativista e antropóloga Debora Diniz em 1999, e recebeu os benefícios entre 2005 e 2014.
Governos Lula e Dilma financiaram 15 projetos do instituto Anis.

De acordo com dados do Portal da Transparência, um dos estudos chegou a custar R$ 1,1 milhão e visava “mapear e acompanhar a trajetória das denúncias de tortura contra adolescentes em privação de liberdade no território brasileiro”.
O segundo mais caro correspondeu a uma quantia de R$ 600 mil, e tinha como proposta a “implementação de políticas de atenção à saúde da mulher – Política Nacional de Planejamento Familiar”.

Apesar de se intitular como “instituto de bioética”, a ONG tem como objetivo fundamental atuar para a legalização do aborto no Brasil.
Segundo a Gazeta do Povo, ao longo dos anos, a Anis foi responsável por impulsionar quase todos os projetos relacionados a pauta.

Em 2012, o instituto articulou a estratégia para aprovar no STF a Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 54, medida que descriminalizou o aborto de anencéfalos no Brasil.
Já em 2008, atuou pela pesquisa com células-tronco embrionárias no plenário do STF, em julgamento que legalizou estudos do tipo no país.
Em 2020, a ONG fez uma tentativa de legalizar a interrupção de gestação de crianças com microcefalia, mas o projeto não chegou a ser aprovado pela Suprema Corte.
 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »