02/02/2021 às 11h55min - Atualizada em 02/02/2021 às 11h55min

Em primeiro ato como presidente, Lira tira a esquerda do comando da Câmara

Medida afetou bloco formado por PT, MDB, PSDB, PSB, PDT, Solidariedade, PCdoB, Cidadania, PV e Rede

Vinicius Mariano
O presidente da Câmara, deputado Arthur Lira (PP) | Michel Jesus/Câmara dos Deputados
O novo presidente da Cãmara, o deputado federal Arthur Lira (PP-AL), em seu primeiro ato como chefe da Casa, tornou sem efeito o registro do bloco de Baleia Rossi para concorrer aos demais cargos da Mesa Diretora, tendo convocado novas eleições para tal. No caso, o bloco que apoiava Baleia foi registrado com atraso, abrindo margem para essa decisão. 

Diferente do que acontece na maioria dos pleitos, em que quem recebe mais votos vence, a Mesa Diretora da Câmara é dividida de forma proporcional entre os blocos parlamentares da Casa. Como Lira dissolveu o Bloco de Baleia Rossi, que contava com partidos de esquerda, como PT e PSDB, deputados desses partidos, na prática, terão menos poder no comando da Mesa Diretora, pois terão que disputar os lugares de forma isolada, ficando em desvantagem em relação aos deputados que concorrerem em blocos.

A Mesa Diretora da Câmara é composta pelo presidente (Arthur Lira), 2 vice-presidentes, 4 secretários e seus suplentes. Antes de Lira anular o bloco de Baleia ontem, a Mesa ficaria da seguinte forma:
1º vice-presidência: ficaria com o PL e o provável escolhido seria o deputado Marcelo Ramos (PL-AM).

2ª vice-presidência: ficaria com o PSD

1ª secretaria: segundo cargo mais importante na Câmara, ficaria com o PT

2ª secretaria: ficaria com o PSDB

3ª secretaria: ficaria com o PSL

4ª secretaria: ficaria com a Rede Sustentabilidade

Suplências: ficariam com Republicanos, PDT, PSC e Democratas

Como Lira dissolveu esse bloco, é provável que seus aliados ocupem a maior parte dos cargos.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »