24/01/2021 às 02h22min - Atualizada em 24/01/2021 às 02h22min

'Certificado digital' ou 'tatuagem quântica' foi incorporada a uma vacina contra Covid-19 por Bill Gates.

A Fundação Bill e Melinda Gates doou mais de US $ 21 milhões para o desenvolvimento de uma tecnologia de vacina que utiliza um mecanismo semelhante a uma tatuagem que injeta nanopartículas invisíveis sob a pele que agora está sendo testada em uma vacina contra o vírus que causa o COVID-19.

Cristina Barroso
(REPRODUÇÃO)
Com a vacina sendo comprada e aplicada no mundo todo, gerando um rendimento incalculável a seus fabricantes, a máquina da pandemia começa a ser desmontada. 
Até os medicamentos sem comprovação científica, mas que salvam vidas, começam a receber aprovação da "ciência".
Entenda o que está por trás do vírus da Covid-19.

Bill Gates declarou no Reddit que “certificados digitais” serão usados para identificar quem recebeu a vacina de Covid-19.
Esses certificados serão usados para identificar quem pode realizar negócios ou não.
Esse plano diabólico é apoiado por uma organização massiva chamada ID2020.

Sara Cunial, membro do Parlamento de Roma, denunciou Bill Gates como um "criminoso vacinal" e pediu para o presidente italiano a entregá-lo ao Tribunal Penal Internacional por crimes contra a humanidade. Ela também expôs a agenda de Bill Gates na Índia e na África, juntamente com os planos de acabar com a raça humana através do programa de identificação digital ID2020.

Durante anos, Bill Gates esteve na vanguarda das pesquisas sobre pandemias globais e campanhas de vacinação em massa. Na última década, Gates registrou várias vezes que o mundo não estava preparado para uma pandemia global.
Em outubro de 2019 (apenas alguns meses antes da aparição do COVID-19), a Fundação Bill e Melinda Gates (em cooperação com o Fórum Econômico Mundial) sediou o Evento 201, uma simulação de 3,5 horas de mesa de uma pandemia global.

Leia também: 
Bill Gates anuncia que implantará microchips para combater Covid-19 e rastrear as vacinas

Curiosamente, essa simulação foi sobre um novo coronavírus que mataria milhões. Cerca de oito semanas depois, um novo romance de coronavírus surgiu na China. Isso levou algumas pessoas a se perguntarem se esse exercício realmente previu a expansão do COVID-19.
 
Esse conceito de “certificado digital” para armazenar informações médicas (incluindo vacinas recebidas) e conceder acesso a direitos ou serviços não era uma mera sugestão. Faz parte de um projeto massivo, impulsionado por um poderoso grupo chamado ID2020, apoiado pelas Nações Unidas, pela Fundação Rockefeller e ... pela Microsoft de Bill Gates.

Em um artigo publicado pela ID2020 em 2018, as vacinas são a maneira perfeita de introduzir a identidade digital no mundo - especialmente crianças.

Título: Imunização apropriadamente : 
“Como a imunização é realizada na infância, fornecer um cartão digital de saúde infantil às crianças daria a elas uma identidade digital portátil e única no início da vida. E, à medida que as crianças crescem, seu cartão digital de saúde infantil pode ser usado para acessar serviços secundários, como a escola primária, ou facilitar o processo de obtenção de credenciais alternativas. Efetivamente, o cartão de saúde da criança se torna o primeiro passo para estabelecer uma identidade legal e amplamente reconhecida”.

Bill Gates estava trabalhando com um grupo do Instituto de Tecnologia de Massachusetts e desenvolvendo um método para incorporar o registro de vacinação de uma pessoa diretamente na pele, algo como uma marca, usando um corante especial que é invisível a olho nu,algo como um ID ou um tipo de código de barra invisível contendo dados, ou "certificação de imunidade vacinal".
Essa nova tecnologia de microagulhas que também podem administrar mais facilmente uma vacina com um “dispositivo tipo band-aid” colocado na pele.
Um enfermeiro ou técnico qualificado não é necessário para administrar a vacina, que também implanta o registro de vacinação do paciente em sua pele como uma tatuagem invisível a olho nu.
 
A Fundação Bill e Melinda Gates doou mais de US $ 21 milhões para o desenvolvimento de uma tecnologia de vacina que utiliza um mecanismo semelhante a uma tatuagem que injeta nanopartículas invisíveis sob a pele que agora está sendo testada em uma vacina contra o vírus que causa o COVID-19.
A tecnologia de microagulhas também está sendo casada com a tecnologia injetável, financiada pela Fundação Bill e Melinda Gates, que incorpora sob a pele um registro de vacinação visível pela luz infravermelha próxima que pode ser lida pela tecnologia de smartphones.
 
Para criar um prontuário médico “no paciente”, os pesquisadores desenvolveram um novo tipo de pontos quânticos baseados em cobre, que emitem luz no espectro infravermelho próximo. Os pontos têm apenas cerca de 4 nanômetros de diâmetro, mas são encapsulados em micropartículas biocompatíveis que formam esferas de cerca de 20 mícrons de diâmetro. Esse encapsulamento permite que o corante permaneça no lugar, escondido sob a pele, após ser injetado junto com a vacina.
 
Os remendos se assemelham a um pedaço pontudo de velcro, com centenas de pequenas microagulhas feitas de açúcar. As microagulhas utilizadas neste estudo são feitas de uma mistura de açúcar solúvel e um polímero denominado PVA, além do corante quantum-dot e da vacina. As agulhas picam na pele e se dissolvem rapidamente, liberando a vacina nas minúsculas abrasões e induzindo uma potente resposta das células imunes, apesar da quantidade minuciosa do material da vacina - muito mais potente que uma injeção intramuscular.
 
Os pesquisadores estavam testando a vacina usando o adesivo de microagulhas para outros coronavírus, incluindo o que causa o Sistema Respiratório do Oriente Médio (MERS) e relataram que três vacinas experimentais diferentes do MERS induziram a produção de anticorpos contra o vírus. Essas respostas foram mais fortes do que as respostas geradas pela injeção regular de uma das vacinas, juntamente com um poderoso estimulante imunológico (um adjuvante). Os níveis de anticorpos continuaram a aumentar ao longo do tempo em camundongos vacinados com adesivo de microagulhas até 55 semanas, quando os experimentos terminaram.
Os pesquisadores agora voltaram sua tecnologia para o vírus COVID-19, o SARS CoV-2.

Acompanhe todas as notícias de Bill Gates aqui.

 

Considere apoiar o Tribuna Nacional
Precisamos do seu apoio para continuar nosso jornalismo baseado em pesquisa independente e investigativa sobre as ameaças do Estado Profundo que a humanidade enfrenta. Sua contribuição, por menor que seja, nos ajuda a nos mantermos à tona. 






ESTAMOS NO GETTR


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://tribunanacional.com.br/.