01/01/2021 às 19h29min - Atualizada em 01/01/2021 às 19h29min

A vacina da Pfizer e da Moderna contra a Covid-19, altera o DNA e poderá causar infertilidade e crianças com deformidades.

Esse Documento oficial de estudos clínicos da Pfizer mostra que a vacina contra a Covid-19 altera o DNA por causa do mRNA que é injetado nas pessoas. Quem fizer sexo e engravidar, a criança nasce com má formação e com DNA corrompido! Isso está no documento da própria Pfizer!!!

Cristina Barroso
(REPRODUÇÃO)
No domingo, 06 de dezembro, a Pfizer, farmacêutica norte-americana responsável pelo desenvolvimento de uma das vacinas mais promissoras até o momento contra a Covid-19, enviou um documento aos profissionais de saúde do Reino Unido com informações sobre a futura vacina.

Segundo as informações do G1, o documento de dez páginas traz recomendações importantes sobre o uso do imunizante. A bula informa que o imunizante não deve ser aplicado em grávidas, mulheres que estão amamentando ou em pacientes com febre aguda. A explicação é que se trata de uma medida de cautela, porque não houve tempo para formular testes precisos com grávidas e lactantes.
  • Se você estiver grávida, não deve se vacinar, apenas após o final da gravidez;
  • Se você pode estar grávida, não deve se vacinar até ter certeza de não estar;
  • Se você pensa em engravidar nos próximos três meses, deve adiar a vacinação;
  • Se você tomar as duas doses, deve se vacinar no mínimo dois meses após a segunda dose;
  • Se você tomar a primeira dose e depois engravidar, só deve tomar a segunda dose após o final da gravidez;
  • Se você estiver amamentando, não deve se vacinar, apenas após o final do período de amamentação;
  • Se você tomar a primeira dose enquanto estiver amamentando, deve adiar a segunda para após o final do período de amamentação.
 
O Reino Unido se tornou o primeiro país a anunciar a aprovação da vacina da Pfzer/BioNtech, na última quarta-feira (2).
Na ocasião, o governo inglês também informou que prevê iniciar a vacinação já na terça-feira, 8 de dezembro, pelo Serviço Nacional de Saúde (NHS, sigla em inglês), o sistema público de saúde britânico. As prioridades serão os maiores de 80 anos, funcionários de saúde na linha de frente e funcionários e moradores de casas de repouso.

Agora prestem muita atenção:
O extenso documento de protocolo clínico da vacina Pfizer, em sua página 132, apêndice 4, informa que homens e mulheres vacinadas não devem ter relações heterossexuais desprotegidas até 28 dias devido ao “risco de segurança reprodutiva”, em outras palavras, você não pode fazer sexo com risco de ter um filho, crianças nascerão defeituosos devido a manipulação genética causada pela vacina que usa o RNAm mensageiros, caso da Pfizer. E depois dos 28 dias? Seu DNA já estará alterado, qual a garantia que você não terá filhos com má formação genética?
E no documento informativo aos profissionais da saúde da Inglaterra, no item 4.5 afirmam não terem estudos de interações medicamentosas (você pode tomar qualquer remédio comum e ter um efeito desconhecido) e no item 4.6 a empresa deixa claro que não sabe se a vacina trará infertilidade.



A Moderna, Inc. é uma empresa de biotecnologia dos EUA com sede em Cambridge, Massachusetts, focada na descoberta e desenvolvimento de medicamentos com base no RNA mensageiro (mRNA), técnica usada pela Pfizer.
A empresa está tentando inserir mRNA sintético nas células vivas dos pacientes para reprogramar suas células sobre como criar suas próprias terapias e vacinas (em vez de serem criadas externamente e, em seguida, injetadas pela abordagem convencional); uma técnica que foi abandonada por grandes empresas farmacêuticas por ser incapazes de superar os perigosos efeitos colaterais da inserção do RNA nas células; em maio de 2020, nenhuma vacina mRNA foi aprovada para uso em seres humanos.
A farmacêutica norte-americana também enviou um documento aos profissionais de saúde do Reino Unido com informações sobre o futuro imunizante.



A vacina da Pfizer será administrada em duas injeções, com 21 dias de intervalo, sendo a segunda dose um reforço. Durante o estudo da vacina foram analisados 170 casos confirmados da Covid-19 e os testes envolveram pessoas com mais de 65 anos e, a partir desta faixa etária, a vacina se mostrou mais de 94% eficaz. Ou seja, a vacina teve resultados “positivos” para idosos.
 
Esse Documento oficial de estudos clínicos da Pfizer mostra que a vacina contra a Covid-19 altera o DNA por causa do mRNA que é injetado nas pessoas. Quem fizer sexo e engravidar, a criança nasce com má formação e com DNA corrompido! Isso está no documento da própria Pfizer!!!

Isso é um CRIME contra a HUMANINADE!
 
Assistam ao vídeo no Telegram @romulomaraschin
 


Segue link do documento da Pfizer, leia:https://media.tghn.org/medialibrary/2020/11/C4591001_Clinical_Protocol_Nov2020_Pfizer_BioNTech.pdf
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »