01/09/2020 às 01h22min - Atualizada em 01/09/2020 às 01h19min

A Ordem Jesuíta e a Reserva Federal Parte II

O século XX foi o mais sangrento em toda a história da humanidade.

Claudia Ribas
Esse artigo é a continuação do último que publiquei aqui no Tribuna Nacional - A Ordem Jesuíta e a Reserva Federal.
O século XX foi  o mais sangrento em toda a história da humanidade. A religião da Reserva Federal, a Ordem Jesuíta, já havia provado estar disposta a assassinar presidentes. Abraham Lincoln buscou neutralizar as políticas do banco central. Apesar de seus esforços e martírio, mais homens tiveram que sacrificar suas vidas mortais por causa de suas oposições à Reserva Federal. Esses homens viram-se a bordo de um "Palácio Flutuante" e afundaram em profundidades geladas para nunca mais retornarem.
A construção do Titanic começou em um estaleiro em Belfast, na Irlanda, no ano de 1909. Foi financiada pelo jesuíta JPMorgan, criando assim um túmulo para a rica oposição da Reserva Federal. A oposição à Reserva Federal foram esses três homens: Benjamin Guggenheim, um empresário americano, Isidor Stauss, chefe da loja de departamento Macys e Jonh  Jacob Astor, um empreiteiro americano, inventor, investidor, que na época pode ter sido o homem mais rico do mundo. Se as riquezas desses homens fossem somadas e pesadas usando o valor do dóllar atual, eles teriam um valor estimado de pelo menos 11 bilhões de dólares, naquela época. Porque esses homens eram críticos à Reserva Federal e por causa da proeza financeira e habilidade de interromper o progresso da Reserva Federal, eles encontraram suas mortes afundando no "infundável" navio. 
Edward Smith, capitão do Titanic, trabalhou em coparceria por anos com JPMorgam.  Apesar de ser um homem com experiência de mais de vinte e seis anos com rotas do Atlântico Norte, foi o homem que não só afundou com o navio, mas foi também o que levou o navio a uma condição para afundar. O capitão fez contato com o um padre chamado Francis que desembarcou em Queenystown na Irlanda, antes dos Titanic afundar. É provável que o capitão Smith tenha recebido ordem do padre Francis para afundar o Titanic. O Titanic não estava só mal equipado com material de segurança, como bote salva-vidas, mas quando o Titanic precisou disparar o sinalizador de chamas vermelhas, saiu uma fumaça branca de celebração. Apesar de dezoito telegramas de alerta, o capitão Smith propulsionou o Titanic a vinte e dois nós. O capitão não era ingênuo ao perigo, ao contrário, ele estava aumentando-o. 
Em dezembro do ano seguinte ao naufrágio do Titanic, a Reserva Federal foi estabelecida. Portanto, até o ano de 1912, toda a oposição à Reserva Federal foi eliminada
.
O ex deputado Ron Paul, sabiamente indicou que não foi coincidência que o século de guerra geral coincidiu com o século do banco central. A Reserva Federal se tornou uma máquina de financiar guerra, da qual o motor resultou em duas guerras mundiais, onde milhões pereceram. Refletindo nessa declaração, os milhões de dólares impressos da Reserva Federal, transformou-se em milhões de vidas perdidas. A capacidade da Reserva Federal de inflacionar a moeda, criou dinheiro e crédito do nada. Sua habilidade de operar sob um manto de sigilo resultou em guerras e catátrofes que eram abundantes e sangrentas.
Como resultado da confusão da doutrina de inflação instável da Reserva Federal, houve grande facilidade para a prosperidade dos autoritários no ambiente caótico.
Vale recordar que a Reserva Federal tem uma religião chamada Católica Romana. Considere as palavras do historiador francês Edmund Paris: "Uma pessoa pode dizer bem especificamente que em 1914, a igreja Católica Romana iniciou uma série de guerras infernais, que foi então um tributo de sangue, do qual ela sempre tirou das pessoas, começou a crescer como uma verdadeira enxurrada". Considerando as palavras de outro historiador, F. Paul Peterson: "O Papa estava na segunda guerra mundial tanto quanto estava Hitler e o católico Mussoline. E portanto, tão culpado das mortes de seis milhões de judeus. Na verdade, o Papa estava instigando a maioria, se não todas as guerras européias pelos séculos."
Além disso, de acordo com o historiador Avril Manhattan, toda a negociação entre Vaticano e Hitler foi conduzida em segredo antes dele se tornar chanceler na Alemanha em janeiro de 1933. Em junho do mesmo ano, Hitler e o Vaticano assinaram a concordata nas condições de que a igreja jurasse lealdade ao grupo regime nazista. Pouco tempo depois, o católico Franz Von Papen, o segundo no comando de Hitler, colocou a essência das linhas do Vaticano e Hitler em sincronia com essas palavras: "O terceiro Reich - ele disse - é o primeiro poder o qual não apenas reconhece, mas põe em pática os altos princípios papais". 
Uma pessoa estremece diante da horrenda natureza e distopia como da Alemanha nazista. Entretanto, foi descoberto que essas leis não poderiam ser aplicadas se não fosse pelo poder do banco central. Mayer Rothschild disse: "Deixe-me emitir e controlar o dinheiro de uma nação, e eu não me importo com quem faça as leis."
Quando olhamos lá na História no final da primeira Guerra Mundial encontramos que a ordem religiosa da Reserva Federal, os jesuítas, criaram outro grupo de frente chamado Conselho de Relações Estrangeiras, ou CRF. JPMorgan inicialmente monopolizou o CRF, mais tarde os Rockerfeller comandaram a CFR. Por fim, tudo isso são mantos de sigilo. Pois cada uma dessas entidades é um grupo de frente para o Vaticano. O mesmo Vaticano inaugurado no século do banco central e no século da guerra.
John F. Kennedy foi o primeiro indivíduo católico romano a ser eleito à presidência dos Estados Unidos. Ele tinha as melhores intenções para com o país. Kennedy disse: "Não pergunte o que seu país pode fazer por você, pergunte o que você pode fazer pelo seu país."
Kennedy morreu a serviço dos verdadeiros princípios da liberdade e de coinciência. Parte e parcela do plano de Kennedy para a prosperidade da nação, era a eliminação do sistema da Reserva Federal. Ele tinha até dinheiro marcado como sem dívida, o  qual não continha a marca da Reserva Federal. Era seu compromisso com a Constituição dos Estados Unidos, mas foi interrompido com o assassinato. 
Praticamente todos da História dos Estados Unidos que se opuseram ao banco central foram mortos ou quase expurgados. Do deputado MacFadden, o empresário do Titanic, StrossGuggenhein e Ashtor e os presidentes Jackson, Lincoln e até Kennedy.
O Vaticano é o principal representante da união, da igreja e do estado. Foi essa confederação que o presidente Kennedy resistiu contra, e foi essa mesma confederação que certificou-se que ele não ficaria em pé. 
As palavras de kennedy são verdadeiras até hoje: "Eu acredito numa América onde a separação da igreja e do estado é absoluta e nenhum prelado dirá ao presidente se ele deve ser católico, como agir, e nehum ministro protestante dirá aos seus paroquianos em quem votar. Quando nenhuma igreja ou escola de igreja seja concedido qualquer reserva pública ou preferência política e quando a nenhuma pessoa é negado um cargo público apenas porque sua religião difere do presidente que pode nomeá-lo ou das pessoas que podem elegê-lo. Eu acredito numa América que não é católica, nem protestante e nem judia. Onde nenhum funcionário público peça ou aceite instruções sobre políticas públicas do Papa, do  Conselho Nacional das Igrejas ou qualquer outra fonte eclesiástica. Onde nenhum corpo religioso busca impor sua vontade diretamente ou indiretamente sobre a população geral ou das ações públicas de seus oficiais, e onde a liberdade religiosa é tão indivisível, mas um ato contra uma igreja é um ato tratado conttra todas."
John F. Kennedy foi um presidente valioso, seu trabalho foi encurtado pelos jesuítas de Roma. 
Mais uma vez as palavras do historiador Arvril Manhattan: "A igreja católica nos Estados Unidos, financeiramente, pode enfrentar todas as corporações da América. Politicamente ela emerge cada vez maior na Casa Branca, no Senado e no Congresso. Ela é uma força no Pentágono, um agente secreto no FBI, e a mais sutil, intangível e força principal da roda do Serviço Secreto dentro de uma roda da Central Intelligency Agency (CIA).
Banqueiros e líderes dobraram seus joelhos ao Vaticano, e ao líder do Vaticano Papa Francisco. O Papa é visto ao redor do mundo como um homem humilde e da paz. Mas, se ele é o líder de uma das mais perigosas nações do mundo, então suas ações devem ser levadas em consideração cuisadosamente. 
O Papa Francisco em 2015 escreveu uma incíclica Laudato si'. E nesse livro jaz o verdadeiro plano. Nas primeiras páginas da encíclica, o Papa Francisco declara que o clima pertence a todos, foi feito para todos porque é um bem comum. Ele também declara que o clima precisa de apoio urgente por causa das emissões de dióxido de carbono e outros gases poluentes que os homens causaram. Sua primeira solução para reduzir esses gases, é fazer com que fique mais caro comprá-los. A primeira nação a aderir foi a França em novembro de 2018.
Quem é o Presidente Macron?
Um ex banqueiro Rothschild que foi educado pelos jesuítas. No ano de 2008, Macron foi contrado sob os Rothschisdes e rapidamente cresceu de analísta para sócio. Dois anos depois Macron começou sua campanha para presidente. O papa Francisco congratulou o novo jogador e deu a Macron o título de - "O primeiro e único cânone honorário da arquibasílica de são João de Latrão."
O canôni honorário é uma tradição desde o século XV, que significa defensor e advogado da igreja cristã e protetor da fé palestina e católica. Os imperadores e presidentes impossados com esse título, significa que eles defenderão a igreja católica e seus bispos. Isso é exatamente o que Macron tem feito. Ele não é presidente, é um pequeno padre na presidencia para entregar de volta ao papado o poder que outrora tivera.
Esta união, que a França e o papado estão introduzindo é a cópia da relação que eles tiveram pouco antes da revolução francesa em 1798. Sobrecarregou as classes média e baixa enquanto os duros impostos das autoridades civis e do clero caíam sobre os ombros pesados da classes, os jesuítas apenas prosperavam numa nação decadente, que governava com uma tirania sobre as igrejas, escolas e prisões. O estado estava financeiramente envergonhado e o povo exasperado. Não era necessário uma profecia para prever o terrível surto eminente. Milhares caíram pela espada com a Revolução Francesa.
Qual era o custo para aderir a ordem do Papa?
Qual seria o resultado se as nações escutassem?
A mesma confusão que ocorreu na França durante a Revolução Francesa, e que atualmente está acontecendo com os coletes amarelos, tumultos e mortes.
Coletes Amarelos - é um movimento de protesto, de origem expontânea, que começou com manifestações na França em outubro de 2018 e posteriormente, se espalhou para outros países.
Nesta incíclica o Papa Francisco traz mais uma "solução" para consertar os problemas do mundo.
O Papa e políticos, há muito, têm prometido uma "utopia de paz", sempre às custas das liberdades pessoais. Ele afirma que há uma forma do mundo ficar em descanso. Menos ganancioso, mais confortável e cuidadosos. Como resultado vem a ilusão de tranquilidade de indivíduos desistindo da sua liberdade para adorar a Deus da maneira que eles escolheram e ceder às ideologias do Papa Francisco. Da sua encíclica descobrimos sua suposta solução para os problemas do mundo, que é uma trama para transformat os Estados Unidos e uma união entre Igreja e Estado. Uma imagem do governo teocrático do Vaticano. 
No Laudato si' do Papa declara o seguinte: "Domingo, assim como o sábado judeu, é designado o dia de curar nosso relacionamento com Deus, com nós mesmos, com os outros e com o mundo, assim o domingo preserva a ação humana de se tornar um ativismo vazio. E o domingo também preserva da ganância desenfreada e senso de isolamento, o que nos faz buscar benefício pessoal ao detrimento de tudo o mais. A lei de repouso semanal proíbe o trabalho no sétimo dia. O descanso abre nossos olhos para um quadro maior e nos dá uma sensibilidade renovada aos direitos dos outros. então o dia de descando, centrado na Eucaristia, difunde a luz sobre a semana inteira. E encoraja-nos a assumir o cuidado da natureza e dos pobres."
Para que a agenda do Papa Francisco seja implementada, o governo terá que se tornar interprete autoritário das escrituras para todos os cidadãos do país, ou então terá que se colocar no lugar de Deus e autoritariamente declarar que a observância estabelecida pelo Estado, que é chamada do Senhor e pertence ao Senhor de fato. Embora a palavra do Senhor declare o contrário.
O Governo dos Estados Unidos está pronto para tomar alguma dessas posições?
O congresso dos estados Unidos Está pronto para forçar o Governo a auternativa de tomar uma ou outra dessas posições?
Tomar qualquer uma dessas posições, pelo governo, não seria nada menos para essa iluminada nação, nesse período do século XXI, assumir o lugar, o poder e as práticas do governo da idade média e impor os dogmas e definições dos teólogos executando a arbitrária e tirânica vontade da igreja. O assunto das leis dominicais claramente aparenta que para além do papado não há nenhuma outra autoridade.
Por que as pessoas, residindo debaixo da melhor Constituição, e das influências mais esclarecidas de todas as idades, são exigidas a retornarem ao sistema perverso que caracterizou a idade média?
Essa nação ficou como farol pro mundo por mais de 200 anos. Que a nação explendida não olhe para trás, que carregue seu lugar de honra diante de todas as nações.
A Reserva Federal deve ser abolida, pois é inconstitucional, depravada, impraticável, extravagantemente pródiga e ameaça a liberdade da consciência. Não há nada de bom que possa vir da Reserva Federal.
 
Os melhores questionamentos, feitos com estratégia e sabedoria, provocam a mudança no mundo.
Link
Claudia Ribas

Claudia Ribas

Professora, Gestora de Recursos Humanos, escritora, mãe, conservadora, patriota.

Relacionadas »
Comentários »

Você votaria em Bolsonaro para Presidente em 2022?

90.7%
9.3%