18/04/2021 às 04h26min - Atualizada em 18/04/2021 às 04h07min

Expondo a fake news

O sistema nunca permitiu reduzir o risco. O sistema não é construído dessa maneira. Eles estão nos dando a ilusão de que estão fazendo alguma coisa para nos proteger. ... Estudo após estudo (teriam muitos a relatar aqui) encontrou que lavar as mãos é eficaz, mas usar a máscara não é eficaz.

O Informante
Claudia Ribas
Uma das informações mais importantes do Covid-19 que você pode não estar ouvindo falar é o que vou abordar hoje. 
Atualmente o jornal da Associação Médica Americana já publicou dados, assim como outros publicaram, de que o fator de risco de ter uma reação severa ao SARS-COV-2 (ou mesmo de morrer desse vírus) o número um é ter uma doença crônica pré-existente, principalmente obesidade, diabetes tipo dois e hipertensão.
Teve um ensaio que aconteceu antes de toda essa porcaria chamado de evento 201. Em 18 de outubro de 2019, quando saiu essa sujeira, e  foi feito pela Universidade Johns Hopkins em conluio com a Fundação Bill e Melinda Gates. Foi um ensaio completo do que estamos vivendo agora. Tinha o seguimento que dizia: 
- Seguimento das finanças - o que vamos fazer...
- Seguimento das viagens - o que vamos fazer...
- Seguimento da internet - qualquer um que não faça parte da narrativa nós vamos excluir da internet... 
"Isso cheira a comunismo."

Proponho aqui uma análise de diversos estudos científicos que mostram os fatos de uma versão muito diferente da que está sendo forçada pelas mídias e organizações de saúde mundiais. Vamos (juntos) entender como os dados e estatísticas são manipulados para criarem uma fundação artificial para a conveniente tomada de decisões que favorece um pequeno grupo de pessoas. Embora eles digam: "Confie na Ciência", isso é tudo menos ciência. Você irá se surpreender com os relatos de médicos, cientistas e especialistas.

Foi publicado no British Medical Journal (jornal médico britânico muito prestigiado) sobre a eficácia de máscara para previnir infecção viral em profissionais da saúde em hospitais. Em quinze hospitais diferentes os participantes no estudo foram randomizados em três grupos diferentes: Um grupo foi instruído a usar máscara cirúrgica durante todo o turno de trabalho, outro grupo foi instruído a usar máscara de tecido durante todo o turno de trabalho, o outro grupo era o de controle que, foi permitido uma prática geral que incluia usar a máscara ocasionalmente, usar a máscara intermitentemente, usar tipos diferentes de máscaras ou não usar nenhuma máscara. 
Eis o que o estudo encontrou: Uma porcentagem de profissionais da saúde  contraíram infecções em todos os grupos, mas uma porcentagem mais alta dos participantes que usaram máscaras de tecidos tiveram taxas significativamente mais altas de infecções em comparação com o grupo de máscaras cirúrgicas.
Ao olharmos para essas informações, se não entrarmos com um forte viés cognitivo e ignorar o fato de que isso existe, devíamos pelo menos estar alertando as pessoas sobre o uso de máscaras de tecido, pois é bem menos eficaz.

No estudo os pesquisadores perceberam que a penetração de máscaras de tecido por partículas de vírus foi quase 97%. Esse estudo foi conduzido em 2015, antes de toda essa loucura politizada que está acontecendo agora. 
Por causa do atual clima os autores do estudo adicionaram uma nota, atualizada recentemente, que afirma: "Nós descobrimos que as máscaras de tecido são estúpidas, mas ainda use uma como último recurso."
Eles não disseram que seus dados estão errados, mas estão tentando fazer isso de forma mais politicamente correta do que dizerem: - Não usem uma máscara ou, não use uma máscara de tecido.

Esse é o mundo que vivemos agora e você precisa ser capaz de ver isso.
Adivinha quem financiou esses estudos? 
Resposta: A OMS.
Logo de cara, na introdução do estudo, eles destacaram uma contradição ao seu próprio estudo afirmando que o SARS-COV-2 se espalha de pessoa para pessoa através de contato pessoal e causa a Covid-19. Não foi resolvido se os SARS-COV-2 pode se espalhar através de aerosóis de gotículas respiratórias. Até agora a amostragem de RNA em alguns estudos, mas não em outros, nada ficou claro. Eles afirmam que há conflito de informações. Têm mais estudos afirmando que não é o que foi declarado. 

"O uso da máscara foi uma forma de falsear a informação e desrespeito à ciência e às vítimas que poderiam ter sido, eventualmente, prevenidas e evitadas." Declarou o médico e coordenador do Gabinete da Crise da Covid-19  Filipe Froes.

Mais um estudo publicado na  Ciência do Ambiente Total - referência 7 - afirma que nos quartos dos pacientes com Covid-19 todas as amostras de ar que foram retiradas de dois a cinco metros da cama do paciente foram negativas e o resultado está de de acordo com dados recentes publicados no Jornal da Associação Médica Americana que indicou que o SARS-COV-2 não pode ser transmitido por rota de transmissão aérea, sugerindo que a transmissão aérea não está causando a pandemia.

A única coisa que as máscaras fazem é deixar o indivíduo insalubre. Estudos realizados recentemente onde as pessoas usaram máscaras por 30 à 40 minutos, testam vírus e bactérias perto da boca e do lado de fora que atravessam. Os CDC's sempre dizem que para se espalhar os vírus e bactérias a pessoa tem que estar doente. Uma pessoa doente, em casa e usando máscara, tem um contato com outra pessoa no período de 30 minutos em uma distância de doze polegadas aí sim pode passar a doença.

No quarto de pacientes com Covid-19 havia o vírus no chão, no computador, no mouse, na lata de lixo, corremão, no ar, mas quando foi testado o ar ao redor de pacientes em isolamento com Covid confirmados, eis o que eles notaram: "Quando eles testaram na UTI e nas alas gerais e obtiveram resultados positivos para 35% nas amostras na UTI e somente 12.5% das amostras de ar. O que o estudo demonstrou é que estamos mais propensos a encontrar partículas da covid no chão do que no ar."

Estão gerando uma falsa sensação de segurança nas habilidades das máscaras. Um dos estudos mais recentes impulsionou manchetes que dizem que máscaras cirúrgicas podem reduzir a disseminação do vírus em até 75%. Se você verificar descobrirá que os corajosos participantes do estudo eram hamsters. Enquanto isso, estudos no mundo real, demostram o contrário.

Precisamos ser capazes de absorver todas essas informações, ter uma lógica razoável de custo benefício e analisar os dados. Não podemos nos tornar religiosos sobre essas crenças e ignorar o fato de que há outros dados existentes que refuta o que nos foi dito. 
No próprio estudo financiado pela OMS analise os dados. Há várias referências sobre como eles compilaram e analisaram os fatos. Vamos usar a referência 31 e verificar o que os dados disseram:
"Nós incluímos quinze ensaios randomizados  que investigam a eficácia da máscara em profissionais de saúde e na população geral e de quarentena. Comparado com não usar máscara não houve redução de doenças do tipo influenza, à influenza, em si, na população geral e nem em profissionais da saúde. Também não houve diferença em máscaras cirúrgicas e em respiradores M95..." esses foram os resultados dos estudos, mas por causa do clima "político" os autores escreveram uma frase na conclusão: "Baseado em evidência observacional de um relatório anterior recomendamos o uso de máscaras combinada com outras medidas."
O mesmo que dizer: "Sabemos que descobrimos que não funciona, mas vai em frente e use a máscara mesmo assim."

A pandemia é da desinformação.

Em um outro estudo 'pacientes com Covid-19 tossiram cinco vezes em uma placa de petri enquanto usavam diferentes tipos de máscaras para estabelecer sua eficácia. Após compilar todos os dados, o próprio estudo relatou que todas as máscaras foram ineficazes na prevenção da disseminação do SARS-COV-2 da tosse de pacientes com Covid-19 para o ambiente e a superfície externa da máscara. 
O mais alarmante foi descobrir que as partículas do vírus ficaram mais concentradas na parte externa que na parte interna da máscara.
Estudo após estudo (teria muitos a relatar aqui) encontrou que lavar as mãos é eficaz, mas usar a máscara não é eficaz.

O sistema nunca permitiu reduzir o risco. O sistema não é construído dessa maneira. Eles estão nos dando a ilusão de que estão fazendo alguma coisa para nos proteger. A verdade é outra.
O que podemos fazer é ficarmos saudáveis e começar a construir uma nova realidade agora. O sistema atual é podre e trabalha para reduzir a população mundial.
Não há evidência de que o uso de máscara vai coibir a propagação do vírus, mas há evidência que a ciência que os políticos propagam não é CIÊNCIA.

Até a próxima!
Link
Claudia Ribas

Claudia Ribas

Professora, Gestora de RH, Escritora.

Relacionadas »
Comentários »