05/03/2021 às 03h23min - Atualizada em 05/03/2021 às 02h41min

O Universo é Perfeito

Estamos em uma experiência humana.

O Sistema Solar é composto por oito planetas; o globo terrestre possui 6 continentes; estima-se que a população global chegou a 7,8 bilhões, em julho de 2020; oficialmente existem 193 países aglutinados à ONU; são 6 912 idiomas em todo o mundo, segundo o compêndio Ethnologue, considerado o maior inventário de línguas do planeta; mais de 20 bilhões de espíritos aguardam o momento certo para reencarnar. O tempo pode variar muito e depende também da evolução que fizeram depois de estarem desencarnados. Há quem diga que essa pausa pode ser de 200 anos.

Diante dessas informações reflita em uma afirmação que vou fazer:
"Não há erro no planejamento de Deus. Estamos aqui como espíritos em uma experiência humana."
Encontramos e reencontramos todos aqueles que são parte dos nossos processos de crescimento, amadurecimento e provas. Nada fica fora das leis do Universo.
Alguns acontecimentos nos parecerão injustos, tristes e vamos "achar", talvez, desnecessários. Mas até o que parece chegar para atrapalhar nos leva ao melhor, justo e confortável.

O Sistema Solar nos parece macro, né? Mas, nada, absolutamente nada, fica perdido, sempre estamos no lugar certo e com as pessoas adequadas a cada experiência.
Vamos abrir, fechar ciclos e habitar os dois lados do véu, mas a nossa verdadeira Pátria é a espiritual.
O tempo será sempre um sopro mesmo parecendo eterno aos nossos sentidos.

Façamos um balanço da nossa jornada moral, exatamente como o negociante, a cada dia, faz o balanço das suas perdas e lucros e tracemos diretrizes de ação para que o próximo balanço se apresente melhor. Aquele que puder dizer que a sua jornada foi boa, pode dormir em paz.

Muitas faltas que cometemos nos passam despercebidas. Por isso, o conselho de Santo Agostinho se reveste de muita importância: Interrogando com mais frequência a nossa consciência, poderemos verificar quantas vezes falimos sem nos dar conta. Conforme as respostas, poderemos avaliar a soma do bem e do mal que existe em nós e, a cada dia, nos dispormos a melhorar naquele ponto do nosso caráter que descobrimos mais frágil.

Se todos os dias trabalhamos para ajuntar o que nos dê segurança na velhice, não será igualmente vantajoso que trabalhemos nossa moral com o objetivo de conquistar a felicidade eterna?

A felicidade não é desse mundo (Planeta Terra), mas podemos tornar a nossa jornada e a do próximo mais leve e confortável.

Até a próxima!
Link
Claudia Ribas

Claudia Ribas

Professora, Gestora de RH, Escritora.

Relacionadas »
Comentários »