30/11/2020 às 18h20min - Atualizada em 30/11/2020 às 18h18min

PT e sua condenação perpétua

Preso à sua própria imagem de criminoso, o partido foi massacrado nas urnas

DO AUTOR
Kaio Lopes
Na noite de ontem, domingo (29 de Novembro de 2020), foi decretado o juízo final sobre um réu acusado de decadência. O júri popular, portanto, a partir da avaliação imparcial do caso, decidiu condenar - quase que por unanimidade - o criminoso: P.T, 40 anos, nascido e criado na capital paulista, foi condenado ao vexame perpétuo pela prática de ilícito eleitoral e destruição do Estado. Segundo a reconstituição das cenas do crime, não há dúvidas de que o PT impossibilitou os recursos de defesa da vítima, o Brasil, o que lhe rendeu mais um entre tantos agravantes, sendo esta a prova da sua covardia. 

Segundo as peças somadas aos autos, o condenado é criminoso reincidente. Ainda no começo da vida adulta, mais precisamente aos 22 anos, o PT foi identificado como um demagogo exímio, mas como tratava-se de um crime afiançável, ele efetuou o devido pagamento ao caixa brasiliense e foi liberado; quatro anos depois, o bandido, dotado de ditames incontestáveis, foi flagrado cometendo proselitismo em praça público. Ato contínuo, correu em direção ao terceiro poder, mas não resistiu ao documento probante que confirmara um prejuízo na ordem de R$ 275 milhões aos cofres públicos. 

Após o conturbado retorno de Saturno, em 2009, o sol renasceu quadrado no ABC Paulista: preso dentro de uma solitária com paredes desgastadas, o PT escapou da cela obscura e cavou um túnel na ausência da luz. No ano seguinte, o 'trintão' vestiu saia longa e concentrou seu saldo ilegal no convencimento da massa. Resultado: foi novamente perdoado pela vítima tupiniquim. 

O condenado constantemente sofreu com denúncias anônimas. Delações estas procedentes à traição do réu contra seus companheiros. Quatro anos se passaram, mas nem tudo passou à inimizade estabelecida entre ele e a vítima. No entanto, pau que bate no Sudeste não bate no Nordeste, e de mãos dadas com tantas minas gerais, o PT foi privilegiado pelo habeas-corpus da engenharia social. 

Dessa vez, porém, o criminoso foi trazido coercitivamente ao jugo da casa que traira e finalmente teve seu poder destituído. O caso, porém, não acaba aqui, pois o PT assumiu vários personagens, todos intencionados pela proteção do mestre antagonista. 

Eis que num sábado, 07 de Abril de 2018, sob a égide da justiça. o chefão foi buscado em sua casa. Ao redor dele, um grande número de cúmplices, em volta dele, contudo, um pequeno contingente de inimigos declarados. Parecia o começo do fim...

O PT, caros leitores, é ligeiro. O seu encarceramento não o impediu de manter a ilicitude política. Agora desafiado por Bolsonaro, seu inesperado algoz, ele estimulou seu amigo de carreira e uma espécie de advogado do diabo, Fernando Haddad, ao pleito de 2018. A sua derrota, tão rara em outrora, foi concretizada Brasil à fora. 

Em fevereiro de 2020, o então réu completou 40 anos. Seus antecedentes criminais o puseram em posição de iminente condenado. Não deu outra: na noite de ontem, domingo (29 de Novembro de 2020), a condenação do PT foi definitiva. Ele não morreu, mas está eternamente arraigado nas rubricas penais.
Link
Relacionadas »
Comentários »